PREVISAO DO TEMPO

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Cpers prevê embate

 Rejane de Oliveira<br /><b>Crédito: </b>  carla ruas / cp memória
Rejane de Oliveira
Crédito: carla ruas / cp memória
O fim da greve dos professores da rede pública estadual de Ensino e a conclusão do ano letivo 2011 não colocaram um ponto final no impasse envolvendo o Cpers/Sindicato e a Secretaria Estadual da Educação (SEC). Pelo contrário; o embate foi protelado para o começo de 2012. Esse é o indicativo apontado na primeira reunião do ano da direção do sindicato, realizada ontem, na Capital.

No encontro, não ficou definido se o Cpers pretende abrir o ano escolar em greve. Mas essa é uma das possibilidades a ser discutida pelo Conselho Geral do sindicato, em nova reunião que acontecerá no próximo dia 20/1. "Vamos construir o debate e deliberar sobre o início do ano letivo. O certo é que não será de forma acomodada. Até lá, promoveremos uma grande campanha de denúncias contra o governo do Estado, que age atacando os direitos dos professores", revelou a presidente do Cpers, Rejane de Oliveira.

O centro das críticas da dirigente está no decreto que modifica critérios de promoção por merecimento dos docentes, alterando a carreira dos professores. A publicação das novas regras foi adiada após reação e solicitação da categoria, mas o governo cumpriu o seu objetivo inicial e publicou o documento no dia 29 de dezembro.

A data da publicação, em semana de festas de Natal e Ano Novo, foi criticada pelo Cpers, assim como a proposta do Executivo. "O governador, pelo seu método, governa com regime de urgência e por meio de decreto. O governo coloca sobre os ombros dos professores a responsabilidade pelos problemas de infraestrutura das escolas e pelos problemas sociais", avalia Rejane. 
 
Fonte: Correio do Povo 04jan2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário