PREVISAO DO TEMPO

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Missão cumprida: Luciano comemora doação de terreno que beneficia brigadianos de Passo Fundo


HABITAÇÃO

Luciana Meneghetti - MTB 11580 | PPS   17:30 - 12/08/2011
Foto: Divulgação / Gab. Dep. Luciano Azevedo 
 
Depois de cinco anos acompanhando e a apoiando a luta dos brigadianos de Passo Fundo pela construção de um conjunto habitacional para a categoria, o deputado Luciano Azevedo (PPS) comemorou nesta sexta-feira a doação do terreno do governo do Estado para o Município. A área está localizada atrás do 3º Regimento Coronel Pelegrini, em Passo Fundo, e será repassada para a Cooperativa Habitacional Conquista da Brigada Militar.
No ato de que oficializou a doação, a secretária estadual da Administração, Stela Farias, e o prefeito Airton Dipp (PDT) reconheceram o empenho do deputado. Desde que recebeu a demanda dos integrantes da cooperativa, em 2007, Luciano participou de audiências com todos os chefes da Casa Civil e secretários de Administração que passaram pelo governo e trabalhou para superar os entraves burocráticos e garantir a aprovação da proposta na Assembleia Legislativa.
“O mérito maior é do presidente da cooperativa, sargento Mario Leandro Gil, e da vice-presidente, sargento Tânia Aparecida Santin. Ele estiveram dezenas de vezes em Porto Alegre para expor detalhes do projeto, apresentar a documentação necessária e destacar a importância da proposta”, afirmou Luciano. O deputado se comprometeu a continuar lutando para que em curto prazo, após resolvidas as questões municipais, as casas comecem a ser construídas. Cerca de 350 famílias serão beneficiadas.
O sargento Gil agradeceu Luciano por estar ao lado da categoria desde o início das negociações com o governo. “O deputado Luciano liderou a mobilização junto ao governo e ajudou a categoria a garantir essa vitória. Agora vamos começar o projeto habitacional que dará mais dignidade aos brigadianos. Todos poderão sair de casa para combater a criminalidade sabendo que suas famílias estarão em segurança”, declarou o sargento.


 
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.

Militares da Força Nacional podem chegar ainda hoje ao Piauí - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

Senado aprova anistia a bombeiros do Rio - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO







Fonte: Jornal O Sul de 11 agosto 2011


Acredito que faltou alguma coisa, pois o título deveria ser:

Salários mobilizam oficiais da Brigada.

Estão tratando dos salários dos oficiais e não da Brigada.

Para quem não sabe temos duas Brigadas, a de Nível Superior e a de Nível Médio.















Brisa do mar

Cinco diretores e assessores do IPE participaram do 45º Congresso Nacional da Abipem (Associação Brasileira de Instituições de Previdência Estaduais e Municipais) em Fortaleza no período de seis a oito de julho com diárias e hospedagens custeadas pelo erário. Certamente os resultados do congresso sob a brisa do mar nordestino trarão tranquilidade ao governador Tarso Genro nas soluções previdenciárias do Estado.


Fonte: Wanderley Soares, Jornal O Sul de 11 agosto 2011 

IPE anuncia aumento de preços e serviços


Instituto, que completou 80 anos, vai receber R$ 105 milhões anuais

 Em discursos, governador destacou a 'refundação do instituto'<br /><b>Crédito: </b>  CACO ARGEMI / PALÁCIO PIRATINI / CP
Em discursos, governador destacou a 'refundação do instituto'
Crédito: CACO ARGEMI / PALÁCIO PIRATINI / CP
O Instituto de Previdência do Estado do RS (IPE) anunciou ontem reajuste de 40% na tabela de honorários médicos e investimentos na ordem de R$ 105 milhões anuais para ampliar a oferta de serviços aos cerca de 1,1 milhão de beneficiários. O anúncio ocorreu em meio às festividades pelos 80 anos da instituição, em agosto.

O IPE também vai reajustar as tabelas dos prestadores serviços em saúde e estabelecer novos convênios com hospitais. A partir de setembro, os segurados terão acesso a cirurgias de pequeno porte e mais 30 leitos hospitalares. "Esperamos finalizar o plano odontológico ainda este ano", informou o presidente do IPE, Valter Morigi. Atualmente, o instituto possui convênios com 337 hospitais, 413 clínicas e cerca de 7 mil médicos. Com os novos investimentos, a expectativa é que haja acesso a novos tipos de procedimentos. "Esperamos passar de 2,4 mil para 4.280. Queremos agilizar o atendimento e estar entre os planos que melhor remunera no Brasil", adiantou.

O presidente do IPE revelou ainda que será revisado o valor de R$ 6 bilhões a receber da Fazenda para fechar as contas com a regulamentação da nova lei da Previdência. O governador Tarso Genro afirmou que as reformas recentemente aprovadas resultarão na "refundação do instituto".











FONTE: JORNAL CORREIO DO POVO ANO 116 Nº 316 - PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 12 DE AGOSTO DE 2011


Teto salarial


O governo está lançando o teto salarial do Estado, mas não fala nada do teto mínimo, onde o salário básico do quadro geral continua inferior ao mínimo nacional.

Antonio Rodrigues, São Gabriel




FONTE: JORNAL CORREIO DO POVO ANO 116 Nº 316 - PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 12 DE AGOSTO DE 2011

Associações brigadianas da Zona Sul do Estado acompanhadas do Vereador Diaroni de Pelotas trazem demandas em comum ao Sub Comndante Geral e aos Direitos Humanos da Brigada Militar.


 Miguel de Bairros, Érico Leal da Rosa e Joõo Carlos Goulart Domingues presidentes da Associação dos Inativos, Regional ASSTBM e da ssociação de Cabos e Soldados todas da cidade de Pelotas respectivamente, sendo o último também presidente da FERPMBM-RS acompanhados pelo Vereador Diaroni dos Santos tiveram ontem a tarde audiência com o Sub Comandante Geral da Brigada Militar, Coronel Altair e também no setor de Direitos Humanos onde foram gentilmente recebidos e atendidos pelo Major Franquilin para apresentarem demandas comuns para os brigadianos da Zona Sul do Estado região esta abrangida por tais associações. Diaroni se destaca na luta para a resolução de tais demandas por ser brigadiano aposentado e citou a importância da união quando se tratam de causas comuns. Acompanhei o grupo em sua jornada e pude constatar a concordância do grupo em relação às demandas, entre elas a regionalização dos cursos CBABM e CTSP evitando assim nesse período a redução do pPoliciamento Ostensivo na região e o agravamento dasa dificuldades financeiras dos cursandos tendo em vista que ao frequentarem tais cursos precisam além de prover o sustento da família gastar com o seu próprio nas cidades para onde forem designados. 

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Entrevista - SGT Nunes (ABASPE) - YouTube

Acordo decide pela criação de Fundo para bancar aumento de policiais e bombeiros - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

Pressão sobre Amorim é para o reaparelhamento das Forças Armadas


Ministro da Defesa, o ex-chanceler Celso Amorim assume a condução das Forças Armadas com o desafio de reaparelhar os quartéis e ampliar o volume de recursos destinados à manutenção dos setores mais sensíveis à segurança nacional. De volta às sombras, as lideranças de ultradireita que integram grupos como O Guararapes, com mais de 200 mil simpatizantes inscritos na página que mantém na internet, o Inconfidência, oIndependente 31 de Março e o Ternuma, todos constituídos, em sua maioria, por oficiais e civis que participaram de alguma forma da quebra institucional do regime democrático em 1964, apenas assistem ao avanço do governo popular da presidenta Dilma Rousseff e, no máximo, acorrem aos artigos online para as críticas às ações governamentais.
Em texto publicado na sessão Artigos Militares do grupo Guararapes, naweb, o general de Divisão reformado Francisco Batista Torres de Melo classifica Brasília como a “ilha da Fantasia”. Ele cita as “casas suntuosas, os desfiles de mulheres bonitas, as festas disputadas pelos que procuram o brilho do dinheiro fácil”. Segundo o ex-militar, “risos vulgares, amizades conquistadas pela hipocrisia do fausto” fazem parte do “mundo deslumbrante dos palácios, onde os decotes mostram os seios que não amamentam os filhos da Pátria (Legiões) e sim, o brilho dos olhos decrépitos carcomidos pela ganância do poder”.
As crises Palocci, Ministério dos Transportes, Campinas e outras e outras são apenas a continuação da degenerescência da sociedade brasileira. Vão ao Senado e falam mentiras, lorotas, gabolice, tentando enganar, fraudar, falsear a verdade e há senadores que batem palmas falsas. A última crise ou a próxima confirmam o que disse (o imperador romano) Augustus: “Quem se desculpa se acusa”. Até o ex-presidente (Luiz Inácio Lula da Silva) correu à capital para se desculpar e colocar em forma os corruptos e defender o indefensável. A autoridade da presidente foi pisada e ela, também, obrigada, como Luís XVI, ficou com a corte e pode perder a cabeça amanhã”, sugere em seu artigo o general aposentado.
Na opinião, porém, de um oficial reformado e severo analista do meiomilitar, ouvido pelo Correio do Brasil na condição de anonimato, expressões como esta do general da reserva demonstram apenas que a manutenção da doutrina anticomunista responsável pela presença das Forças Armadas ao lado golpe de Estado, nos Anos de Chumbo, segue intacta, embora contida em um estado de hibernação pelas condições geopolíticas em que o país se encontra. Às vésperas da Copa do Mundo e sede das próximas Olimpíadas, a última coisa de que o Brasil precisaria, nesse momento, “seria de uma quartelada”, avalia o observador da caserna. Com diploma da Escola Superior de Guerra, o analista acrescenta que a falta de líderes na extrema-direita e as recentes fraturas nas hostes conservadoras, após a derrota do candidato deste setor nas últimas eleições presidenciais, apenas facilitam o percurso do ministro Amorim.
Hoje em dia não há mais aqueles manifestos raivosos que antecederam a tomada do poder por parte dos militares brasileiros. No comando do Exército, por exemplo, há um oficial que não é combatente, ou seja, não integra as armas que conduzem a batalha, como a Infantaria e a Artilharia, por exemplo. Discreto e inexpressivo politicamente junto à tropa, o general de Exército Enzo Martins Peri, carioca, de 70 anos, é da Arma de Engenharia. É raro um oficial desta Arma seguir tão longe assim. Quadro técnico, Peri é reconhecido por sua capacidade de gestão e já pressionava o então ministro Nelson Jobim pelo reaparelhamento da estrutura militarbrasileira. No primeiro encontro com o novo ministro, ele e os comandantes da Marinha e da Aeronáutica mantiveram o bordão por mais recursos para este segmento da defesa nacional – relata a fonte.
Antes mesmo de assumir o posto, Amorim teria obtido da presidenta Dilma a garantia de novos investimentos para as três Armas, o que o animou a substituir Jobim, que renunciou após uma série de críticas desencontradas sobre o atual governo. Quadro de esquerda, Amorim também já iniciou uma série de conversas para que o Congresso aprove o relatório da Comissão da Verdade, de forma a permitir que e a história do período militar seja passada a limpo no Brasil, como determina a Organização dos Estados Americanos (OEA). Acusado de torturador, em 1985, pela ex-deputada Bete Mendes (PT), o ex-coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, ou “doutor Tibiriçá”, como era conhecido nos porões da ditadura, aguarda pacientemente por seu julgamento, sob o arcabouço dos líderes da ultradireita “que envelhecem nas rodas saudosas do Clube Militar”.
Cada dia que passa é um a menos para os poucos militares que participaram da desventurada ditadura brasileira. A maioria da tropa, que não integrou o movimento de 64, hoje se permite servir ao país da melhor maneira possível. Sem dinheiro sequer para o ‘rancho’ nos quartéis, o oficialato comparece ao serviço pela manhã, cumpre uma rotina básica, pratica seu esporte preferido e segue para a vida, seja estudando para algum concurso ou trabalhando como consultor na área de Segurança, entre outras atividades. Mas longe da questão ideológica que moveu um contingente inteiro, 50 anos atrás, contra os direitos democráticos da nação – acrescentou o analista.
Ainda segundo o militar ouvido pelo CdB, “não passam de bazófia” os editoriais na imprensa conservadora sobre possíveis dificuldades à frente, na gestão de Amorim.

A condução econômica do país, seja pela presidenta Dilma, seja por seu antecessor, não deixa dúvidas quanto à necessidade de se manter o poder nas mãos dos civis e, para gerir as Forças Armadas, Amorim não precisará vestir o uniforme verde-oliva, sem nunca ter sido um militar, para ser aceito como líder da tropa, a exemplo do que fez aquele a quem sucede, que sequer continência sabia bater corretamente – concluiu.
Gilberto de Souza é jornalista, editor-chefe do Correio do Brasil.

militarJobim usou farda sem nunca ter sido militar






DESABAFO DE UMA PROFESSORA


NÃO SOU POLÍTICA, SOU CIDADÃ E SEMPRE LUTEI PELA MINHA CLASSE. A GREVE É UM, INSTRUMENTO LEGAL DE QUALQUER CATEGORIA NA CONQUISTA POR SEUS DIREITOS.


MUITOS COLEGAS JÁ DESCRENTES COM OS REPRESENTANTES DA CLASSE E COM OS GOVERNOS SEQUER ENTRARAM NESSA GREVE, POIS SABIAM PELA EXPERIÊNCIA QUE QUALQUER GOVERNO, QUE REINE NESSE ESTADO TRATA OS EDUCADORES COM DESCASO E DESRESPEITO E ATÉ MESMO OS PRÓPRIOS REPRESENTANTES DA CATEGORIA SE DEIXAM MANIPULAR.

*ÍAMOS ATÉ A CAPITAL PARA ENGROSSAR AS FILEIRAS DAS MANIFSTAÇÕES E QUANDO CHEGÁVAMOS AS NEGOCIAÇÕES ERAM TÃO RÁPIDAS QUE DAVA A IMPRESSÃO QUE TUDO JÁ ESTAVA PREVIAMENTE ACERTADO

*E SÓ SE NECESSITAVA DO AVAL DA CATEGORIA PARA QUE A CULPA DE UMA "TALVEZ" MÁ NEGOCIAÇÃO NÃO RECAÍSSE SOMENTE SOBRE A DIREÇÃO SINDICAL.

O PROFESSOR HÁ ANOS ESTUDANDO PARA SE FORMAR DEIXANDO FAMÍLIAS EM CASA E FICAR O DIA OU A NOITE EM SALAS DE AULA. FIZERAM FACULDADES, CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO, MUITOS COM MESTRADOS E ATÉ DOUTORADOS. AGUENTAR HUMILHAÇÃO E GANHAR UMA NINHARIA, UMA MERRECA.

É UM ABSURDO COMO BRINCAM COM A PACIÊNCIA DAS PESSOAS! MUDANÇAS DE CLASSE, TRIÊNIOS... SEMPRE COM ATRASO E SEM ENTRAR NA QUESTÃO DAS PRECATÓRIAS.

NÃO ENTENDO PORQUE PESSOAS QUE TRABALHAM “PELO” E “PARA” O POVO E “DEVEM FAZÊ-LO” ATENDENDO SUAS NECESSIDADES E ANSEIOS E NÃO SIMPLESMENTE APROVEITAREM-SE DO PODER ADQUIRIDO E TRATAR A” COISA PÚBLICA” COMO SE FOSSE PATRIMÔNIO SEU.

QUE BOM QUE O SENHOR GOVERNADOR UM DIA FREQUENTOU OS BANCOS ESCOLARES E TALVEZ ACORDE A TEMPO DE SABER OU VER O REAL VALOR QUE SE DEVE DAR AO PROFESSOR.

Quando nossos filhos crescem fica a certeza do dever cumprido, da vitória, da satisfação e muita saudade no coração!!!

O texto acima é de autoria da minha conterrânea e sempre irmã SUSANA ROCHA, cujo pai, o Professor ROCHINHA,  aos 94 anos continua sendo um exemplo de vida para todos nós que fomos seus alunos. 

CADE A PEC 300? Calendário de votações apresentado por Marco Maia. - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

Calendário de votações apresentado por Marco Maia



































Link para a tabela:


OPINIÃO DO BLOGUISTA:

Marco Maia deixa PEC 300 fora?

Este cidadão em época eleitoral procurou diversas associações classistas, apesar de eu não estar presente,  sei de associações aonde ele foi apresentado por colegas de farda e demonstrava total conhecimento sobre a situação de penúria brigadiana, inclusive narrando fatos que nem eu sendo brigadiano sabia tanto.

Infelizmente ainda precisamos amadurecer politicamente e deixar de acreditar nessas velhas raposas politiqueiras e procurar fechar em torno de candidatos classistas e dos quais possamos cobrar algum comprometimento. O episódio Gomes tirou a credibilidade do povo brigadiano, pois desde tal fato deixamos de acreditar na "PRATA DA CASA" e acabamos nos tornando ao cidadão supracitado que fala que segurança pública não dá voto. Em 2012 e 2014 não nos deixemos levar por esses políticos profissionais e que escolheram o erário público para sustento de seus próprios interesses e vamos fechar em torno de candidatos da segurança pública. Vamos realizar prévias em nossas associações e os que não forem escolhidos apoiem os escolhidos e vamos mostrar para os políticos em geral que SEGURANÇA PÚBLICA DÁ VOTO SIM.

Por:

Dagoberto Valteman - 2º Sgt RR BM
Jornalista -Registro MTE 15265








Marco Maia propõe calendário de votações, com análise da Emenda 29 em outubro - Agência Câmara de Notícias

Deputado pede urgência na aprovação da PEC 300


Quarta, 10 de Agosto de 2011 - 14:43
Fonte: Da redação
Foto: Divulgação

Almi tem conhecimento de que teto nacional já foi implantado nos estados do Sergipe e Acre.
O líder do PT na Assembléia Legislativa, deputado Cabo Almi, ocupou a tribuna, na sessão desta quarta-feira (10), para pedir urgência na aprovação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 300/2008, que pretende estipular um teto salarial nacional a todos os policiais militares e bombeiros. 
De acordo com Almi, nesta quarta-feira, mais de 600 bombeiros e policiais militares estão em passeata em frente à Câmara dos Deputados. O grupo está acampado dentro do Auditório Nereu Ramos desde a última terça-feira (9), e pretende permanecer dentro do Congresso Nacional até que a PEC seja incluída na pauta do Plenário e aprovada.
Cabo Almi ressalta que a PEC foi aprovada em primeira discussão e agora necessita ser votada em segunda, para em seguida ser transformada em emenda e regulamentada pela presidente Dilma Rousseff. O parlamentar destaca que o teto nacional é estimado entre R$ 3 mil e R$ 3,5 mil.
“Eu tenho conhecimento de que os estados do Acre e Sergipe já estabeleceram esse teto aos policiais militares e bombeiros. É preciso instituir logo esse piso salarial em todo o país”, ressaltou.
A segurança pública no país precisa ser prioridade, segundo adverte o deputado. Ele lembrou que a presidente Dilma, em seu plano de trabalho durante a campanha eleitoral, assegurou que uma de suas metas seria garantir melhores condições de trabalho àqueles que estão ligados à segurança pública.
“Ninguém consegue perceber que a segurança pública precisa deixar de ser um mero papel de proteção aos governantes, mas sim à população de uma maneira geral. Nossa luta não é uma sangria desatada, pois tem fundamento”, concluiu.

http://www.acritica.net/index.php?conteudo=Noticias&id=46860
FONTE: 

PF nega uso de algemas indevido


A Polícia Federal (PF) negou ontem acusações de uso indevido de algemas durante a prisão de 36 pessoas na Operação Voucher, que atingiu o Ministério do Turismo. Em nota, a PF disse que o uso de algemas ocorreu de acordo com súmula vinculante do Supremo Tribunal Federal, que determina sua utilização para segurança do conduzido e da sociedade. A PF informou ainda que vai apurar possíveis casos de abuso por parte de agentes.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, questionou o uso de algemas durante a ação. No ofício endereçado ao diretor-geral da PF, Leandro Daiello, o ministro determinou a prestação de informações sobre o uso de algemas na execução das ordens de prisões temporárias e preventivas. A regra obriga a PF a justificar por escrito o uso da algema.


FONTE: JORNAL CORREIO DO POVO ANO 116 Nº 315 - PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 11 DE AGOSTO DE 2011

COLUNA DA TALINE OPPTIZ


Polêmica


Entre os projetos que o governador Tarso Genro enviará ao Legislativo gaúcho no final do mês ou no início de setembro, o da mudança nos critérios de avaliação dos professores estaduais, e que inclui também novas regras para a concessão de gratificação por difícil acesso, e a proposta que mexe no teto salarial prometem abrir uma longa discussão entre o Executivo e os servidores estaduais. O teto salarial já existe no RS e corresponde a 90,25% dos vencimentos do ministro do STF. Mexer neste assunto, como revela matéria publicada nesta página, irá deflagrar enorme polêmica com a Fazenda estadual. Com o Cpers, o clima que já está conturbado, deve azedar de vez.
FONTE: JORNAL CORREIO DO POVO ANO 116 Nº 315 - PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 11 DE AGOSTO DE 2011

Confirmação de teto irrita servidores


Tarso disse ontem que Estado terá nova política de teto para funcionários

Fiscais ouviram Tarso e, depois, protestaram junto a diretores da Fazenda<br /><b>Crédito: </b> eduardo müller / divulgação / cp
Fiscais ouviram Tarso e, depois, protestaram junto a diretores da Fazenda
Crédito: eduardo müller / divulgação / cp
Após ouvirem do próprio governador Tarso Genro, ontem, a confirmação de que será instituído para os servidores do Executivo um novo teto salarial, os agentes fiscais da Fazenda estadual se mostraram irritados com o encaminhamento dado pelo Piratini ao assunto.

Como estavam em assembleia geral, as entidades que congregam os agentes fiscais se reuniram pela manhã com o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana. Dele receberam a notícia de que não há projeto pronto para estabelecer novo teto aos servidores do Executivo. O cenário se limitaria a discussões no núcleo do governo. Enquanto os dirigentes sindicais se acalmavam na conversa com Pestana, os demais fiscais, que esperavam o término da reunião na Praça da Matriz, ficaram sabendo pelo próprio governador, que foi ao encontro deles na Rua Duque de Caxias, que haverá uma nova política de teto salarial. "Vale aquilo que o governador disse", avaliou ontem Abel Ferreira, presidente da Associação dos Fiscais de Tributos Estaduais (Afisvec).

Pestana informou aos fiscais que os chamará em 20 dias para conhecer e discutir a pauta do teto salarial. Mas os servidores pretendem esclarecer a situação diretamente com o governador até a próxima quarta-feira, no máximo, em audiência que está sendo pleiteada pela categoria.

"Queremos resolver isso em quatro ou cinco dias, sob pena de a Fazenda parar. Vamos acelerar a discussão", revelou ontem o presidente da Afisvec.



FONTE: JORNAL CORREIO DO POVO ANO 116 Nº 315 - PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 11 DE AGOSTO DE 2011

Constituído como um dos principais negociadores do Piratini, o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, negou ontem, depois da reunião com os fiscais da Fazenda, que o governo esteja lançando publicamente teses difusas sobre a implantação de um novo teto salarial para o Executivo. "Não têm duas versões. É uma só. Aquilo que falamos na Casa Civil e aquilo que o governador falou lá fora não é contraditório e não é motivo para tensionamentos", argumentou Pestana. Ele disse que foi sincero ao afirmar que o Piratini não possui nenhuma proposta finalizada sobre aplicação de novo teto salarial. "O governo não consolidou opinião. Num prazo de 20 dias teremos posição sobre o teto. Mas qualquer decisão vai ser antecedida pela conversa com os agentes fiscais", garantiu Pestana. Ele salientou que o objetivo "não é trazer prejuízo aos fiscais".


Constituído como um dos principais negociadores do Piratini, o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, negou ontem, depois da reunião com os fiscais da Fazenda, que o governo esteja lançando publicamente teses difusas sobre a implantação de um novo teto salarial para o Executivo. "Não têm duas versões. É uma só. Aquilo que falamos na Casa Civil e aquilo que o governador falou lá fora não é contraditório e não é motivo para tensionamentos", argumentou Pestana.

Ele disse que foi sincero ao afirmar que o Piratini não possui nenhuma proposta finalizada sobre aplicação de novo teto salarial. "O governo não consolidou opinião. Num prazo de 20 dias teremos posição sobre o teto. Mas qualquer decisão vai ser antecedida pela conversa com os agentes fiscais", garantiu Pestana. Ele salientou que o objetivo "não é trazer prejuízo aos fiscais".


FONTE: JORNAL CORREIO DO POVO ANO 116 Nº 315 - PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 11 DE AGOSTO DE 2011

Bins: ''Já temos um teto salarial''

Além da cobrança por clareza nas posições do governo, os agentes fiscais criticam a proposta de implantação de um novo teto para o Executivo. Eles alegam que já estão vinculados constitucionalmente ao salário de R$ 24,1 mil, correspondente a 90,25% do vencimento de ministro do STF. "Já existe um teto que é cumprido. Esse subteto vai penalizar a nossa categoria, que busca recursos para o Estado", disse o presidente da Sindicato dos Servidores da Administração Tributária, Luiz Antonio Bins. No encontro informal que teve ontem com os fiscais, o governador Tarso Genro sinalizou que outras categorias, como a Defensoria Pública e a PGE, serão atingidas. "É impossível vincular os juízes e os desembargadores. Quanto ao resto, é teto único", avisou Tarso.

FONTE: JORNAL CORREIO DO POVO ANO 116 Nº 315 - PORTO ALEGRE, QUINTA-FEIRA, 11 DE AGOSTO DE 2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Câmara : Marco Maia diz que PEC 300 não será aprovada na marra. - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

AMESE - ASSOCIAÇÃO DOS MILITARES DO ESTADO DE SERGIPE: PARLAMENTARES E LÍDERES DA PEC-300 TÊM REUNIÃO COM O PRESIDENTE DA CÂMARA.

Imóveis para pagar precatórios | ASSTBM

Os bombeiros e policiais esperam uma solução para a aprovação da PEC 300 | ASSTBM

Marco Maia: Câmara terá que reavaliar PEC 300 diante da crise financeira internacional | ASSTBM

O valor dos professores


Maioria dos estados paga menos que o piso estabelecido por lei. Docentes se mobilizam e greves prejudicam volta às aulas
Gisele Brito
gisele.brito@folhauniversal.com.br
Fonte: Folha Universal publicado em 31/07/2011 às 00h00.

Ana Jimenez, de 27 anos, atua há 4 na rede pública estadual na cidade de São Paulo e não nega que já sabia que seu futuro seria difícil quando ingressou na faculdade de Geografia e decidiu dar aulas. A vontade de contribuir para diminuir as mazelas do mundo, porém, a motivou, diz ela. Hoje, em meio à dificuldade de comprar um imóvel, Ana sente certa frustração. “Uma manicure ganha R$ 20 reais por 1 hora e meia de trabalho. Eu ganho R$ 7,50. Não é desmerecer o trabalho da manicure, até porque uma das minhas tias é manicure, mas ela não fez faculdade”, conta. “Para o meu pai, todo o investimento na minha formação está sendo desperdiçado. Por ele eu não seria professora. Nenhum pai quer que seu filho seja professor”, afirma. Em São Paulo, o salário inicial para um professor da rede estadual com nível superior é R$ 1.438,33. É pouco, mas há situações ainda mais críticas em outros estados.

Em maio, Amanda Gurgel, de 29 anos, comoveu milhares de pessoas ao proferir um discurso diante de deputados do Rio Grande do Norte. A professora, formada em Letras, questionou se os parlamentares seriam capazes de viver com seu salário-base: R$ 930. E denunciou o descaso com a educação. O vídeo foi parar na internet e virou um sucesso. Meses depois, porém, Amanda diz que tudo continua igual para os professores potiguares. “A gente não quer ser milionário, só ter uma vida digna No Rio Grande do Norte nada mudou. Fizemos uma greve que durou 81 dias, nenhuma das nossas reivindicações foi atendida. Fomos humilhados mais uma vez”, conta.
Os baixos salários entre os professores não são novidade, mas, com a entrada em vigor da lei que estabelece um piso nacional para a categoria, este quadro deveria ter começado a se alterar. A lei foi promulgada em 2008 e questionada na Justiça. Ficou suspensa até abril deste ano, quando o Supremo Tribunal Federal sentenciou que o texto é constitucional. O piso nacional passou a ser de R$ 1.187,97 para professores de nível médio, aqueles que não cursaram Ensino Superior.
Mesmo com a determinação, porém, pouco mudou. A maioria dos estados ainda paga remuneração inferior ao piso estabelecido, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Os professores têm feito protestos e greves para reclamar da situação. Algumas já duram meses e para muitos alunos o reinício das aulas previsto para agosto será adiado.
No Rio de Janeiro, por exemplo, onde esses professores recebem R$ 650, a situação só deve se definir nesta quarta-feira (3), quando haverá uma assembleia. Eles estão parados desde 7 de junho. “O Governo defende que paga um salário proporcional ao piso, já que a nossa carga horária é de 22 horas e meia, mas nós queremos receber o valor estabelecido pela lei”, explica Sérgio Paulo Aurnheimer Filho, coordenador do sindicato dos profissionais de educação do Rio de Janeiro. Segundo ele, centenas deixam a rede estadual, atraídos por salários em redes municipais que pagam até o dobro.
Os professores ficam só esperando a aprovação em outro concurso para saírem. Isso prejudica o desenvolvimento de projetos educativos de médio e longo prazo”, aponta Aurnheimer.
Em Minas Gerais, onde o salário-base é de R$ 396,89 por uma jornada de 24 horas semanais, valor inferior ao piso, mesmo proporcionalmente, a situação não é diferente. A greve, que começou em 8 de junho, não tem previsão para acabar de acordo com Beatriz Cerqueira, coordenadora-geral do sindicato dos profissionais de educação de Minas. “Existe uma lei, mas o Governo de Minas não fez nada para se adequar. Por isso fizemos uma greve. Dar aula é, para muitos, apenas uma atividade de passagem, algo que se faz enquanto não se encontra outro trabalho que pague melhor. E tudo isso afeta o processo educativo”, emenda.
Muitos professores arranjam outros empregos para complementar a renda. “Preparar uma boa aula demanda tempo e esse tempo não é integralmente pago. Ou seja, além de ganhar pouco o professor trabalha de graça quando quer oferecer algo legal para os alunos. É óbvio que quando você está cansada e desmotivada fica tudo mais difícil”, diz a professora Ana.
Para Heleno Araújo Filho, secretário para assuntos educacionais da CNTE, a falta de vínculos com a comunidade e as múltiplas jornadas prejudicam a qualidade da educação. “O piso foi um instrumento muito comemorado, mas foi muito descaracterizado graças a interpretações errôneas e à má vontade dos gestores”, comenta.

Jornal do Brasil - Informe JB - Governo tenta adiar polêmicas

Mudança na PEC 300 gera discussão entre policiais em evento na Câmara - O Globo

Policiais e bombeiros protestam na Câmara por votação da PEC 300 - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

Jornal do Comércio - Tarso avalia se mantém proposta de novo teto salaria

Policiais e bombeiros acampam em auditório da Câmara em defesa da PEC 300 - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

Qual o fundamento das transferências? - Abordagem Policial

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Sargento Lago: A Brigada Militar no extremo sul

Jornalista Polibio Braga: Edital para contratar empresa de auditoria dos precatórios pode estar contaminado

Jornalista Polibio Braga: Chegou a hora de instalar a CPI dos Precatórios no RS

Comissão Brasil 300 participa de mobilização em Brasília | Midiamax - O Jornal Eletrônico do Mato Grosso do Sul

PEC 300: bombeiros e policiais tentam encontro hoje com Marco Maia - Agência Câmara de Notícias

PB Agora - Paraíba - Major Fábio ‘dedura’ qual foi o parlamentar que votou contra a PEC 300

Bombeiros e policiais retomam pressão pela PEC 300 no Congresso — Rede Brasil Atual

MANIFESTAÇÃO EM PROL DA PEC300 INICIA 14H - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

ABASPE E FERPMBM-RS DISCUTEM IPERGS COM DEMAIS ENTIDADES CLASSISTAS DE FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO ESTADO.


Na manhã de 02ago2011 reuniram-se com este bloguista os Sargentos Rodrigues e Nunes Presidente da ABASPE e Presidente do Conselho Deliberativo da ABASPE respectivamente, e também integrantes da Comissão de Direitos Humanos da FERPMBM-RS. Naquela ocasião eu recepcionava o Sargento Lago da Policia Militar de São Paulo, cantor e compositor que está em viagem pelo Brasil desenvolvendo o Projeto Policias Militares do Brasil o qual foi foi convidado para fazer parte da reunião.
O grupo sob o olhar atento do Sargento Lago comentou sobre seu descontentamento e da tropa em geral com alguns acontecimentos no IPERGS, e foi proposta uma pauta para a reunião que se desenvolverá com diversas entidades representantes do funcionalismo publico dia 09ago2011 às 14:00 horas na rua Baronesa do Gravataí 106.

Pauta:
1 ) Reclassificação das franquias ou categorias;
2 ) Repasse dos descontos previdenciários des contados pelo Estado;
3) Pagamento dos direitos previdenciários pelo Estado;
4) Despesas custeadas pelo IPE, quando é de responsabilidade do Estado com os acidentados em serviço, determinado pelo art. 127 da Constituição Estadual, para ME, e para funcionário art. 137 da Lei 10.098/94;
          5) Cobrança de consulta do |IPE pelos médicos funcionários do Estado, em horário de expediente;.
          6) A falta de médicos e médicos especilistas no interior;
7) O Estado cobre a taxa médica da categoria do acidentado em serviço quando apresentado o recibo com o carimbo e número do CREMERS do médico credenciado ao IPE, os médicos negam, informando ser orientação do IPE, para que o paciente reire seu recibo online;
8) Assuntos gerais.

 Posicionamento na mesa
Cabeceira - Dagoberto
Á direita: Sgt Lago e Sgt Rodrigues
Á esquerda: Sgt Nunes



Foto e artigo: 
Dagoberto Valteman - 2º Sgt RR BM
Jornalista- Registro MTE 15265


Projeto abona greve de professores | ASSTBM

TJM decide que Polícia Civil não pode investigar os homicídios cometidos por PMs em serviço - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

Concessão de adicional de periculosidade aos policiais e bombeiros militares avança na Câmara - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

Romero discursa na Câmara dos Deputados e defende a PEC 300 - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

Líderes vão pressionar pela votação de temas polêmicos, como PEC 300 - POLICIAIS E BOMBEIROS DO BRASIL - A MAIOR COMUNIDADE DO GENERO

domingo, 7 de agosto de 2011

Câmara Deputados – Agenda da semana – de 08 a 12 de agosto | ASSTBM

IPE RS

O Centro Administrativo do IPE é o símbolo maior de má-administração do dinheiro público. O prédio tem 12 andares e cada um tem, no máximo, 50% de ocupação útil. Tranquilamente em seis andares ou menos, o IPE faria a mesma coisa que faz hoje em 12 andares, e sobrariam seis andares para locar e captar dinheiro para melhorar os serviços prestados. Nada de novo em se tratando de Brasil.

Alexandre C. Fagundes, Porto Alegre

FONTE: JORNAL CORREIO DO POVO ANO 116 Nº 311 - PORTO ALEGRE, DOMINGO, 7 DE AGOSTO DE 2011