PREVISAO DO TEMPO

sábado, 23 de junho de 2012

Motim policial se espalha na Bolívia

La Paz – Trezentos policiais, que apoiam um motim na Bolívia por melhores salários, atacaram, ontem, com paus e pedras, o comando geral da instituição em La Paz, onde a guarda interna não ofereceu resistência. Vestidos à paisana, os agentes marcharam até o Comando Geral, no bairro de Sopocachi, gritando “Renuncie!” ao líder da entidade, coronel Víctor Maldonado. No ato, quebraram muitos vidros.

Os amotinados reivindicaram primeiramente a guarda no Comando, formada principalmente por 30 subtenentes e tenentes, que acabaram se somando ao protesto, iniciado na quinta feira com motins em La Paz, mas que ontem se estenderam a Santa Cruz, a Cochabamba, a Oruro, a Sucre e a Tarija.

Fonte: Correio do Povo 23junho 2012

Salário público I

Quando se fala de desvios e discrepâncias, tudo acontece aqui no Brasil. Assistimos a gente que burla a lei para garantir os “vale-disso e daquilo”, distribuídos em programas sociais ou o caso das “filhas solteiras” dos militares que não se casam apenas para não perder a pensão, pois a lei prevê pagamento vitalício (durante toda a vida). No ano passado, foram 90,9 mil as filhas solteiras beneficiadas. Elas receberam R$ 342 milhões em dezembro, o que dá uma pensão média de R$ 3.700. O direito das filhas solteiras dos militares receber pensão viltalícia foi “encerrado” por uma medida provisória editada em 29 de dezembro de 2000. Esta decisão, porém, não atingiu quem estava na ativa nas Forças Armadas. Indo para Brasília, vamos encontrar os “folclóricos” vencimentos de copeiras e ascensoristas (condutores de veículos verticais) ganhando acima de R$ 10 mil. No governo paulista, temos assistente de estacionamento, assessores de imprensa e um enfermeiro responsável pelos trabalhadores municipais que ganham R$ 18,3 mil por mês - 12 vezes o salário médio da mesma função no setor privado. Pela lei vigente, nenhum funcionário público pode ganhar mais que R$ 26.700 – a remuneração dos juízes de instâncias federais superiores. Contudo, um terço dos ministros e mais de 4 mil servidores federais teriam rendimentos superiores a esse teto. Incluindo o presidente do Senado, José Sarney, cujo salário chegaria a 62 mil. Se formos a fundo, iremos encontrar mais “aberrações salariais”.

Marcelo do Vale Nunes – Porto Alegre

Fonte: Correio do Povo 23junho 2012
Coluna: Do Leitor

Salários públicos II

O governo não está dando aumento para ninguém, e sim tirando dos aposentados, que ganham pouco. E ainda querem votos!

José Amaro Ribeiro Silva - Canoas

Fonte: Correio do Povo 23junho 2012
Coluna: Do Leitor

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Servidores do Judiciário entrarão em greve na quarta-feira

Decisão foi tomada em assembleia na Escola Parobé, em Porto Alegre

Os servidores do Judiciário das 173 comarcas do Rio Grande do Sul decretaram greve por tempo indeterminado a partir de quarta-feira e prometem manter a exigência connstitucional de 30% do efetivo no trabalho. A decisão pela paralisação foi tomada na tarde desta sexta-feira, em assembleia na Escola Estadual Parobé, em Porto Alegre.

Os manifestantes não aceitaram a proposta de 2,25% de reajuste oferecida na última reunião com o Tribunal de Justiça. Os servidores do Ministério Público e do Tribunal de Contas do Estado, que realizam campanha conjunta, farão reunião na próxima semana para decidir se aderem à greve. Os trabalhadores buscam recuperação de 46% em perdas salariais, formulação de plano de carreira, jornada de sete horas e data base para o reajuste salarial.

Com informações da Rádio Guaíba

Fonte: Luiz Dibe / Correio do Povo


Correio do Povo online 22junho2012


Continua difícil reunir com eles

Informo que são 17:06 da tarde e não obtive comfirmação da agenda supostamente marcada para quarta feira 27 com o deputado Valdeci de Oliveira Líder de \governo na Assembleia Legislativa e as associações dos brigadianos do interior, cujos presidenes desde já convidam ABERGS, ASSTBM e ABAMF para participarem. Só precisamos saber o horário e também confirmar se o Chefe da Casa Civil vai receber receberá as associações. Para que não haja dúvidas sobre o que falei mandei questionamento por SMS via celular e recebi resposta.

Autoria de Dagoberto Valteman - 2º Sgt RR BM

Comandante Geral fala ao seu contigente sobre os últimos fatos e segurança pessoal

Policial Militar,



O Comando da Polícia Militar tem o compromisso de garantir a segurança dos policiais militares e informá-los sobre qualquer situação de risco a que estejam expostos dentro ou fora de serviço.

Durante a noite e madrugada (21 e 22.06.2012), além do contingente regular, deslocamos para a Zona Sul e Leste um grande contingente da ROTA, CHOQUE e COE: 253 policiais militares, 57 viaturas e 20 motos.

Todas as patrulhas em serviço estão com orientação de conduta de segurança especial, com atendimento de ocorrência em pares de viaturas e cautelas redobradas no atendimento de ocorrências e na aproximação de veículos, motos e pessoas suspeitas.

Sobre os recentes episódios cabe esclarecer que não houve nenhum assassinato de PM em serviço em 2012 sendo certo que as mortes registradas ocorreram nas seguintes situações:

· Policiais Militares de folga surpreendidos durante exercício de atividade extracorporação (bico).

· Policiais Militares de folga que tentaram intervir em ocorrências de roubo contra terceiros.

· Policiais Militares de folga surpreendidos por marginais em via pública.

· Outras situações ainda por esclarecer.

Até o momento não há nada que indique que estes crimes covardes sejam ação orquestrada.

Toda a estrutura do Departamento de PM Vítima da Corregedoria e o DHPP estão trabalhando juntos para que os autores sejam rapidamente identificados e presos.

Vários casos registrados estão prestes a serem esclarecidos e a Polícia Militar não vai descansar enquanto os responsáveis não forem identificados e presos.

Transmitimos orientações de atenção e segurança a todas as equipes de serviço, aumentando ainda mais o esforço de prevenção e o grau de proteção de nossos policiais militares e de nossas instalações.

Com relação aos policiais militares de folga, recomendamos que adotem as mesmas cautelas e cuidados que mantêm durante o serviço bem como informem imediatamente à sua Unidade ou ao COPOM qualquer situação de risco ou a presença de indivíduos suspeitos. Recomendamos ainda que evitem a frequência em lugares que representem perigo à sua segurança.

Pedimos a todos os Policiais Militares que colaborem com este esforço trazendo ao nosso conhecimento qualquer informação que ajude a evitar, prevenir e identificar potenciais agressores.

É muito importante que todos os Policiais Militares tomem consciência que a nossa Instituição mantém um grande contingente de policiais em serviço, devidamente equipado para que aqueles que estiverem de folga não se exponham a riscos desnecessários.

A Polícia Militar se mantêm firme na missão de proteger as pessoas, fazer cumprir as leis, combater o crime e preservar a ordem.

Nós envergamos uma farda que nos identifica como a força de proteção da sociedade. Nossa própria segurança é cuidada por cada Policial Militar que trabalha dia e noite no Estado de São Paulo. Juntos, unidos, formamos uma grande rede de proteção. Todos os Policiais Militares devem se manter atentos para que não nos tornemos vítimas da ação covarde de criminosos.



ROBERVAL FERREIRA FRANÇA

Coronel PM Comandante Geral



Fonte: e-mail recebido em comunidadepolicialbr@bol.com.br

http://www.policialbr.com/profiles/blogs/comandante-geral-fala-ao-seu-contigente-sobre-os-ultimos-fatos-e-

Tá dificil reunir com eles................

Acabo de fazer contato com o gabinete do deputado Valdeci de Oliveira, Líder de Governo na Assembleia Legislativa do Estado e que havia prometido receber as Associações Independentes representantes dos servidores de Nível Médio da Brigada Militar. Em um primeiro momento a audiência que seria na terça feira dia 26 foi remarcada para dia 27 de junho por motivo de viagem do deputado. Assim que eu receber a confirmação do horário repasso aos presidentes das associações do interior, ainda não tenho retorno da audiência na Casa Civil. Ontem pela noite comentei com o meu amigo Juarez que a audiencia seria marcada o mais próximo possível do dia 29 e correndo o risco de ser desmarcada para que caso estejamos mobilizados para o dia da manifestação fazer com que a gente desista de participar. Parece que o meu pensamento está um pouco correto.
 
Autoria de Dagoberto Valteman 2º Sgt RR BM

Artigo, Raul Haidar - Cobrança do IRPF é tributação ilegal do contribuinte

- O artigo a seguir é de Raul Haidar. Foi publicado na edição do dia 11 do Consultor Jurídico. Os trechos a seguir foram destacados pelo editor, mas o link dá acesso ao artigo completo.

Fazer a restituição do imposto de renda retido na fonte é ato que não admite julgamento simplista, pois não pode ser considerado “bom” ou “mau”. Embora já tenhamos comentado essas farsas todas em mais de uma oportunidade, as mais recentes em 17/10/2011 e 02/02/2012, somos obrigados a voltar ao assunto, nem que seja apenas para não deixar a Receita Federal “faturar” como sendo “bom”, aquilo que nada mais é que confissão de uma sucessão de ilegalidades praticadas contra o contribuinte. Nada há para ser faturado, para ser exibido ou comemorado, porque o dinheiro que se vai devolver foi tirado ILEGAMENTE do contribuinte.

. A ilegalidade da cobrança do imposto de renda na fonte está evidente, ante a falta de atualizaçao dos limites da tabela de retenção e tambem das deduções.

. Há vários anos a tabela de retenção não sofre a correção que reflete os índices da inflação. O valor do limite de isenção deveria estar hoje em cerca de R$ 3.500,00. De igual forma, deveriam ser corrigidos todos os demais valores em reais que são citados na legislação do imposto.

.O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal já fez inúmeros estudos nesse sentido e já desenvolveu campanhas para que a correção seja feita por índices verdadeiros. Basta consultar na internet pela expressão “chegadeconfisco”, que temos à nossa disposição informações sobre esses índices.

. Ao cobrar imposto de quem deveria estar isento, a Receita comete grave injustiça, pois nessas faixas salariais mais baixas (abaixo de R$ 3.500,00) a incidência dos tributos indiretos ocorre de forma mais pesada, pois tais contribuintes são aqueles que sofrem um comprometimento maior de sua renda com consumo de itens básicos (alimentação, roupas, medicamentos, etc.).


CLIQUE AQUI para ler todo o artigo.


Jornalista Políbio Braga

Contato: polibio.braga@uol.com.br
Comercialização:polibio.braga@uol.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/polibiobraga
Twitter: http://twitter.com/polibiobraga

http://www.conjur.com.br/2012-jun-11/justica-tributaria-cobranca-irpf-tributacao-ilegal-contribuinte

Novos salários na BM e Polícia: oposição questionará ataque de Tarso à Lei de Responsabilidade Fiscal

Há pleno convencimento entre os deputados do PMDB, PSDB, PP e PPS, no sentido de que fere a Lei de Responsabilidade Fiscal a proposta do governador Tarso Genro, que prevê aumentos salariais para Brigada e Polícia Civil.

Jornalista Políbio Braga

Contato: polibio.braga@uol.com.br
Comercialização:polibio.braga@uol.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/polibiobraga
Twitter: http://twitter.com/polibiobraga

Distorções garantem 4 mil exceções ao teto do funcionalismo

Cerca de 4 mil servidores dos Três Poderes ganham além do teto do funcionalismo de R$ 26,7 mil, segundo o site Congresso em Foco. Considerados apenas os salários dos servidores do Congresso, os 1.590 funcionários que recebem mais de R$ 26,7 mil (salário de ministro do Supremo) equivalem a um quarto dos 6.816 servidores efetivos. De julho de 2010 a junho de 2011, funcionários do Senado chegaram a receber, cada um, de R$ 360 mil a R$ 765 mil. Entre eles, está o ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia, envolvido no escândalo dos atos secretos, que acumulou, nesse período, cerca de R$ 359 mil. O próprio presidente do Senado, José Sarney, recebe R$ 62 mil, devido à soma de seu subsídio de senador e duas aposentadorias do governo do Maranhão. A soma dos supersalários só no Congresso com irregularidades na folha chegaria a R$ 657 milhões por ano.

No Judiciário, são 1.331 servidores nessa situação, principalmente nos tribunais de Justiça de São Paulo (514) e Rio (161).

No Executivo, outros 1.069 servidores ganham acima do teto. Entre os motivos das distorções estão fatores como o fato de legislação sobre o regime dos servidores indicar verbas que não entrariam no cálculo do teto, como horas extras, valores retroativos e verbas indenizatórias como diárias.

Fonte: Correio do Povo 22junho2012

Conselhão veta previdência complementar

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES-RS) retomou ontem o debate sobre a previdência gaúcha. Os conselheiros refutaram debater propostas de previdência complementar e avaliam positivamente a criação do Fundo Previdenciário (Fundoprev), criado em julho de 2011 e dedicado aos servidores que ingressaram no Estado a partir de agosto. "Nenhum servidor público quer a previdência complementar", registrou o conselheiro Cláudio Augustin.

Fonte: Correio do Povo 22junho2012

PEC que derruba teto preocupa governo

Para ministro da Previdência, texto aprovado na Câmara é ''retrocesso''



 Maia defende proposta aprovada<br /><b>Crédito: </b>  antônio cruz / abr / cpMaia defende proposta aprovada

Crédito: antônio cruz / abr / cp


A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, criticou ontem a aprovação pela comissão especial da Câmara dos Deputados da proposta de emenda à Constituição (PEC) que acaba com o teto salarial dos servidores públicos. "Acho essa decisão muito preocupante", disse a ministra. "Foi uma primeira votação, mas ela é importante e, por isso mesmo, espero que não avance." Ela afirmou acreditar que "ainda seja possível reverter esta situação".

Segundo Miriam, haverá grande mobilização na base do governo para evitar que o fim do teto nos governos federal, estadual e municipal seja aprovado no Congresso. A proposta ainda vai ser analisada pelo plenário da Câmara antes de ir ao Senado. A ministra ressaltou que a proposta é preocupante não só para o governo federal, mas também para Estados e municípios, porque pode levar a um estouro no caixa.

Para o ministro da Previdência, Garibaldi Alves, o texto é um retrocesso. "Estamos em um momento de crise e devemos nos acautelar". "Temos que garantir bons salários ao servidores, mas não por meio de artimanhas e conchavos de gabinetes", disse o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Moreira Franco. Ele foi, quando deputado, relator da PEC que fixou o teto do funcionalismo. Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, o texto da PEC é "um retrocesso do ponto de vista da gestão pública, daquilo que se pretendeu quando se instituiu o teto, que era moralizar os vencimentos dentro de todos os poderes".

O presidente da Câmara, Marco Maia, defendeu o acúmulo de vencimentos por servidores públicos, mesmo que a soma exceda o teto constitucional - valor do salário de ministro do Supremo, R$ 26.723,13. Ele disse que não há previsão para a votação da PEC que, na prática, acaba com o teto salarial. "Um funcionário público que se aposentou pelo teto e foi requisitado, foi recontratado, precisa receber um tipo de remuneração, se não estaria trabalhando por caridade", exemplificou.

Fonte: Correio do Povo 22junho2012





quinta-feira, 21 de junho de 2012

Servidores em greve são barrados

Manifestantes alegam que realizavam ato pacífico diante da Reitoria/Ufrgs


Crédito: RAQUEL CARLUCHO / ESPECIAL / CP

 Manifestantes alegam que realizavam ato pacífico diante da Reitoria/Ufrgs<br /><b>Crédito: </b>  RAQUEL CARLUCHO / ESPECIAL / CPUm grupo de servidores em greve da Universidade Federal do RS (Ufrgs) tentou ontem entrar na Reitoria, no Campus Central, na Capital, mas foi barrado.

Para Bernadete Menezes, uma das coordenadoras da Associação dos Servidores de Ufrgs e UFCSPA (Assufrgs), a ação é uma resposta negativa da Reitoria. "Foi uma manifestação pacífica. Nós apenas queríamos conversar com os servidores que trabalham no prédio", explicou a dirigente, lembrando que o assunto será levado para a coordenação nacional da categoria.

Conforme Bernadete, o movimento ganhou força, contando com cerca de 60% da categoria parada. Entre as recentes adesões estão a Biblioteca Central e os restaurantes universitários. Para ela, o apoio de professores e acadêmicos é prova de que há um descontentamento geral.

A Reitoria da Ufrgs não se manifesta sobre a greve de servidores, alegando que as negociações ocorrem com o governo.

Fonte: Correio do Povo 21junho2012


Manifestações de docentes federais

Além dos servidores de universidades federais do país, docentes também estão mobilizados. Duas representações sindicais de professores federais promovem atos nacionais: Andes-SN e Proifes.

Adufrgs-Sindical representa professores de Ufrgs, UFCSPA, IFRS Porto Alegre e IFRS Restinga, que estão com indicativo de greve, desde o dia 5 de junho último, decidido pela diretoria e pelo Conselho de Representantes da Adufrgs-Sindical. E, de 19/6 até hoje, promovem uma consulta plebiscitária sobre a deflagração de greve. Com o resultado, serão definidas as próximas atividades do movimento. Nacionalmente, a Adufrgs-Sindical está ligada à Proifes-Federação.

Já a articulação nacional que congrega docentes federais por meio da Andes-SN programou marcha hoje, no Centro da Capital.


Fonte: Correio do Povo 21junho2012


PEC-300: policiais e bombeiros, responsáveis por nossa segurança não ganham o suficiente para dar segurança a suas famílias

Policiais militares e bombeiros: o salário baixo é só um dos problemas

Publicado originalmente em 16 de março de 2011
Amigos, venho recebendo centenas de mensagens de policiais militares e bombeiros de todo o país agradecendo o acompanhamento que tenho feito da tramitação, no Congresso, da Proposta de Emenda Constitucional nº 300, de 2008 – a chamada PEC-300 –, que propõe uma considerável melhoria salarial nos salários desses profissionais.

Campeões de AudiênciaEm primeiro lugar, gostaria de dizer a todos os que me enviam comentários elogiosos e aos amigos do blog que não faço favor algum com isso. O assunto é importante, interessa à sociedade e a centenas de milhares de servidores. É, portanto, minha obrigação interessar-se por ele.

Em segundo lugar, preciso esclarecer que defendo, com toda convicção, a necessidade de uma profunda, radical mudança para melhor na situação dos policiais militares e bombeiros, e que não se limita a salários: deve também abranger melhores armas, equipamentos, fardamentos e veículos, melhores instalações, formação e aperfeiçoamento contínuos – e, claro, avaliações periódicas de desempenho, para premiação e, também, eventuais punições.

A PEC-300, portanto, é pouco.

É possível, como alega o governo federal, que arcaria com grande parte dos custos da implantação da medida, que os cofres públicos não resistam à sua implantação.

Ainda assim, a PEC-300 é uma oportunidade de ouro, imperdível, para que o governo federal e os governos estaduais finalmente parem de driblar a realidade dificílima da segurança pública no Brasil, parem de fingir durante as campanhas eleitorais que essa é sua prioridade 1 – para logo depois ser esquecida – e comecem a agir.

Começando pelos pés de barro de todo o sistema: a grande maioria dos responsáveis pela segurança pública de todos nós não ganha o suficiente para dar segurança a suas próprias famílias.

Como exigir que sejam eficientes, corajosos e incorruptíveis?

Uma coisa, porém, precisa ficar clara, claríssima: como oportunamente lembraram leitores da coluna, é inadmissível o exercício de pressões indevidas, como ameaças a parlamentares, em favor da aprovação da PEC. E também é inadmissível o recurso à greve: corporações armadas pelo Estado não podem fazer greve de forma alguma. Greves de policiais são ilegais, inconstitucionais e devem ser combatidas e, se for o caso, reprimidas com o uso das Forças Armadas.

fonte: Veja
 

Governo fica surpreso com ''golpe''

A PEC aprovada ontem por comissão especial da Câmara, na prática, coloca por terra as reformas administrativas dos governos Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, idealizadas para frear os salários dos marajás do serviço público e tentar limitar gastos com o funcionalismo. O texto foi aprovado por unanimidade, em reunião de cerca de meia hora. Interlocutores do governo no Congresso foram surpreendidos e consideram ter havido um golpe, aproveitando a Casa esvaziada. Foi a segunda reunião da comissão, instalada em 10 de maio passado.

Entre mudanças e revogações de artigos, a proposta do relator, deputado Mauro Lopes (PMDB-MG), permite o acúmulo de pagamentos de várias fontes - incluindo aposentadoria, salários, benefícios, decisões judiciais - para o servidor público, mesmo que a soma exceda o teto, igual ao valor do subsídio dos ministros do Supremo, atualmente de R$ 26.723,13.

O texto aprovado retira os limites atuais para o salário dos servidores estaduais e municipais, mudando regra constitucional. O relator afirma que a proposta corrige a falta de isonomia atual entre os funcionários públicos. "Não se constata razão suficiente para diferenciar os servidores estaduais e municipais dos federais."

Fonte: Correio do Povo 21junho2012

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Cariocas já sentem efeitos da mobilização militar e policial para a Rio+20

Rio de Janeiro, 20 jun (EFE).- A cidade do Rio de Janeiro amanheceu sob forte esquema de segurança nesta quarta-feira devido ao início da cúpula de chefes de Estado e de governo da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), da qual participarão, até sexta-feira, cerca de 100 líderes.

O esquema, em vigor desde a semana passada, no começo das negociações da Rio+20, foi reforçado na madrugada de hoje com a chegada da maioria dos líderes que participarão da reunião.

Desde a primeira hora do dia, helicópteros militares sobrevoam à baixa altura os bairros Flamengo, Botafogo, Copacabana, Ipanema, Leblon, São Conrado e Barra da Tijuca, onde se concentra a maioria dos hotéis nos quis estão hospedados os chefes de Estado e de governo e suas delegações.

A vigilância se estende também às águas da Baía de Guanabara e do mar aberto que banha a zona sul da cidade, onde são visíveis várias embarcações da Marinha.

No esquema de segurança participam cerca de 15 mil policiais e militares, segundo o Ministério da Defesa.

Nos dois aeroportos da cidade e nos hotéis, soldados vestidos com traje de combate e armados com fuzis fazem a guarda, enquanto agentes da Polícia Federal vestidos de preto e fortemente armados circulam por diversas áreas.

O Comando Militar do Leste informou que cerca de 450 motociclistas do Exército, da Marinha, da Força Aérea, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Militar e da Guarda Civil da cidade se encarregam de abrir passagem às comitivas que transportam os líderes em seus deslocamentos pela cidade.

Para facilitar a circulação no caótico trânsito do Rio, a Prefeitura declarou recesso escolar de hoje até sexta-feira e as repartições públicas têm ponto facultativo. As outras atividades da cidade funcionam normalmente.

Nos arredores do Riocentro, onde acontecem as reuniões de cúpula, a 40 quilômetros do centro da cidade, a vigilância foi dobrada, com militares e cercas para impedir a circulação de pessoas não autorizadas.

O espaço aéreo do local foi bloqueado pela Força Aérea e baterias antiaéreas foram instaladas nos arredores para prevenir qualquer atentado, embora as autoridades não tenham informado sobre qualquer ameaça terrorista.

Nas imediações da Avenida Niemeyer, a Força Aérea proibiu também os voos à baixa altura, o que afeta a prática de voos de asa-delta e parapente. EFE

fonte: Veja
 

CE: PMs respondem por infrações de trânsito dirigidas a veículos oficiais


Uma informação chegada ao conhecimento público, causou surpresa nos meios populares segundo a qual motoristas de viaturas que prestam atendimento de segurança e socorro respondem pelas multas dirigidas a esse tipo de veículo oficial. Ou seja, nos casos de emergência para socorrer alguém que precisa ou perseguição a algum criminoso, o motorista da viatura está obrigado a seguir rigorosamente as leis de trânsito. Sirene e intermitentes só para abrir caminhos pois o sinal vermelho deve ser obedecido.

No caso de multa, esta chega para o motorista se defender perante o DETRAN (Departamento de Trânsito) ou Demutran (Departamento Municipal de Trânsito). Caso não logre êxito nas suas argumentações, o militar vai ter que pagar a multa com dinheiro do seu próprio bolso. A informação foi dada ao Site Miséria por um dos membros do Corpo de Bombeiros e confirmada, anonimamente, por um Soldado do Ronda do Quarteirão.

Ou seja, apressar, por exemplo, a marcha de uma viatura do GSU para socorrer alguém que foi atropelado no trânsito em via pública pode resultar em prejuízo para o bolso do motorista caso ultrapasse algum foto sensor com a velocidade acima da permitida. O mesmo pode ser dito em relação a militares que dirigem viaturas da PM quando estiverem perseguindo alguém acusado de furto, roubo, tráfico de drogas ou que tenha praticado lesão corporal ou homicídio.

Para o comerciante Alindo Matos é algo sem sentido por limitar a ação da polícia na garantia da ordem pública. Ele disse ter conhecimento da atitude do estado mesmo sabendo que alguma infração praticada não parte da displicência ou indisciplina do militar. Um soldado que pediu para não ser identificado falou que a grande maioria das multas é em situações de urgência e nem todas são revogadas quando o prejuízo fica com o motorista do carro oficial.

FONTE: Miséria no dia 19.06.2012

Assessores fora de reuniões

Na reunião de líderes ontem, na Assembleia, o presidente Alexandre Postal determinou que os assessores de imprensa dos deputados não participem das reuniões. "Eles nunca participaram. Isso não é novidade", afirmou Postal. Alguns deputados disseram que Postal quer evitar que comentários feitos na reunião "vazem" para a imprensa.


Fonte: Correio do Povo 20junho2012


Protocolado projeto do 13º

O projeto de lei que institui o 13º salário aos secretários de Estado, da mesa diretora da Assembleia Legislativa foi protocolado ontem. O PL tem dez dias para receber emendas. O presidente da Casa, Alexandre Postal, disse que se o projeto tiver acordo na reunião de líderes de terça-feira, pode seguir para votação já na próxima semana.


Fonte: Correio do Povo 20junho2012

Assembleia aprova reajuste de diárias

Sem polêmicas, projeto e mais sete proposições passaram por unanimidade


Plenário em nada lembrou ontem os embates de uma semana atrás<br /><b>Crédito: </b> Marcelo Bertani / al / cp
Plenário em nada lembrou ontem os embates de uma semana atrás

Crédito: Marcelo Bertani / al / cp

Os deputados aprovaram ontem, por unanimidade, projeto de lei que reajusta as diárias de viagem dos servidores do Executivo estadual. Os valores, que estavam entre R$ 48,04 e R$ 305,86 desde 2010, passam a vigorar com nova tabela, acrescida de multiplicadores, variando entre R$ 123,00 e R$ 365,27. "É justo o aumento das diárias. Está dentro dos parâmetros nacionais", declarou o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Valdeci Oliveira (PT).

A sessão plenária de ontem de nada parecia com a da semana passada, quando foram votadas 17 proposições do bloco de projetos do Executivo. Uma semana depois dos embates travados entre oposição e governistas na tribuna do parlamento, os deputados aprovaram, por unanimidade e sem fortes discussões, as oito matérias que estavam na pauta. Somente o projeto de lei do deputado Catarina Paladini (PSB), que cria a política estadual de atendimento a pessoas com diagnóstico de autismo, foi retirado da ordem do dia, a pedido do autor.

Para Oliveira, a calmaria no plenário é justificada pela ausência de projetos polêmicos. "Acredito que estava calmo também porque na semana passada a sessão foi agitada demais", apontou.

Apenas o deputado Edson Brum (PMDB) foi à tribuna criticar o governo. Ele cobrou a implantação imediata dos pedágios comunitários. Segundo Brum, o Piratini pretende aumentar tarifa do pedágio de Santa Cruz do Sul, de R$ 6,70 para R$ 8,05, em troca da construção de um viaduto na entrada da cidade

Fonte: Correio do Povo 20junho2012

Como ficam as novas diárias dos servidores do Executivo do RS



Tabela

Fonte: Correio do Povo 20junho2012

terça-feira, 19 de junho de 2012

Indignado: manifestação reunirá educadores e trabalhadores de outras categorias

O CPERS/Sindicato realizará um ato público estadual no próximo dia 29, em Porto Alegre. Denominado ato dos indignados, o protesto denunciará a farsa do concurso público realizado pelo governo do estado.

Educadores e trabalhadores de outras categorias também denunciarão o não cumprimento da lei do piso, o aumento da contribuição previdenciária dos servidores e a falta de investimentos na educação pública.

A concentração para o ato será em frente ao CPERS/Sindicato (avenida Alberto Bins, 480, no centro da capital gaúcha), a partir das 13 horas. Em passeata, os manifestantes se deslocarão até a Praça da Matriz.

João dos Santos e Silva, assessor de imprensa do CPERS/Sindicato

http://www.cpers.com.br/index.php?&menu=1&cd_noticia=3256

DESVALORIZAÇÃO POLICIAL





Por Ivenio Hermes

Quem quer manter a ordem? Quem quer criar desordem?

1 Paradigma Pós-ditadura
O Brasil conserva um paradigma de instituições policiais que pouco evolui mesmo com a demanda da sociedade pós-ditadura militar. O país ainda não encontrou seu modelo próprio e ao imitar as polícias estrangeiras, os seus agentes se veem cada vez mais perdidos na diversidade de técnicas que precisam aprender e constantemente mudar.

Encapsulando esse problema existe a falta de regulamentação do artigo 144 da CF/88, que ainda mantém em seu ordenamento uma polícia que de fato nem existe mais. E essa falta de objetividade e intenção de esclarecer como deve ser gerida e organizada a carreira policial, enfraquece todo o sistema de segurança pública da nação, tornando-a pouco capaz de fornecer o serviço de proteger e servir que a população necessita.

Nesse redemoinho de inação ou falta de vontade de agir, os integrantes das carreiras policiais são apanhados e veem seus sonhos de prestar um bom serviço ao povo brasileiro e serem reconhecidos por isso, ir esvanecendo como toda boa ilusão.

Por que nossa segurança pública continua tão fragilizada? A quem interessa manter uma polícia fraca e sem capacidade de funcionar amplamente? Por que os policiais brasileiros são tão desprezados pelo poder legislativo e pela mídia? Essas questões irrefutáveis sugerem muitas respostas, mas é preciso reconhecer algumas delas em busca de equilibrar as ideias para futuras soluções.

2 Direitos Irrefutáveis

2.1 Plano de Carreira

Para todo sistema biológico debilitado existe sempre um vírus pronto para atacá-lo e destruí-lo e o mesmo ocorre na segurança pública. O fortalecimento das carreiras de polícias que deveria ser uma preocupação do Estado tornou-se objetivo apenas dos agentes policiais e dos órgãos de representação da classe.

São diversas ações isoladas e algumas poucas comuns visando o fortalecimento de carreiras policiais, mas nenhuma é proposta pelo Estado. Cada entidade, buscando sua própria sustentação e melhoria, cria comissões para elaborar planos, estudar viabilidade salarial, se apoiar em princípios isonômicos de tratamento para sugerir propostas para estruturar suas carreiras.

Desde 1988 que as entidades representativas de classe e seus membros individualmente lutam para conscientizar parlamentares sobre a necessidade da estruturação das carreiras na segurança pública. São comissões para apoiar este ou aquele departamento de polícia, e os sucessos dessas empreitadas foram eventualmente deveras pontuais beneficiando umas poucas carreiras e mesmo assim nem sempre na sua totalidade. E o insucesso em angariar a simpatia de parlamentares faz com que em cada eleição haja mais policiais tentando a carreira política objetivando fortalecer a representação dos interesses dos policiais no poder legislativo.

Ser policial não é para qualquer um. Fácil eu ser entrevistado aqui por você, em um hotel, enquanto outras pessoas estão tomando tiro de fuzil. É difícil a atividade policial. A sociedade precisa entender que são pessoas diferenciadas, que tem amor pelo que fazem. Veja que sou do Ministério Público não sou da polícia. Vejo por exemplo você fazer uma incursão na favela, todo dia no Rio morre um policial. É difícil, tem que valorizar o policial.[1]

Assim, temos 27 unidades na federação, cada uma com suas polícias estaduais com salários, carreiras, estruturas e formas de funcionamento que as singularizam distorcidamente gerando insatisfação nos policiais. É comum vermos pessoas atravessarem as divisas de seus estados para tentarem a carreira policial em outro cujos atrativos nesses quesitos abordados sejam mais satisfatórios.

E ocorre algo semelhante no âmbito federal. Existem três polícias sendo que somente duas ainda funcionam. São cargos como agentes, inspetores, peritos, escrivães, delegados e outros que se digladiam entre si para obterem as melhores vantagens quando percebem suas carreiras sendo preteridas em razão de outras.

O servidor público vocacionado para o serviço policial se vê obrigado a migrar para outras carreiras, temeroso pela instabilidade interminável que caracteriza a segurança pública.

2.2 Aposentadoria Especial

Outro direito presente em muitas carreiras típicas de Estado e que está ameaçada por novas ações do Estado. O policial trabalha arriscando sua vida, sua saúde física e mental, e quando precisa se aposentar, recebe um impacto de perda salarial que nada mais é do que um desrespeito aos anos de dedicação integral ao serviço público.

Sem nenhum demérito a nenhuma outra carreira, é preciso que o Estado tenha noção de que com atitudes como essa, ele venha a retirar um dos poucos atrativos de ser policial, que ele gere um esmorecimento no ímpeto laboral dos agentes policiais, que ele inclusive, promova o aumento de uma influência da corrupção nas fileiras de órgãos que já sofrem com isso.

O fim da aposentadoria especial não deve ser encarado apenas como o fim de uma ligeira vantagem financeira para o policial, mas também como o implementador da perda de saúde por parte dos integrantes da carreira. Um serviço de alta periculosidade como este, precisa de menor tempo trabalho que o período atual de 30 anos para a conquista do prêmio merecidíssimo da aposentadoria.

2.3 Direito de Greve

É o típico assunto que nem deveria ser considerado na pauta das necessidades da segurança pública de um país que respeitasse seus servidores policiais. Mas o direito de greve é uma necessidade suprema de quem precisa de meios alternativos de convencimento da administração pública quando não é mais suficiente apenas mostrar bons serviços prestados, ou ainda, mostrar que não presta bons serviços por culpa da própria falta de competência dos gestores eleitos ou nomeados.

Recomendações como a da ONU sobre a extinção da Polícia Militar ou do modelo militar de polícia é um caso concreto da tentativa da influência internacional no Brasil, e vergonhosamente isso se dá porque quase 24 anos após a promulgação da Carta Magna Brasileira, as carreiras policiais ainda não foram regulamentadas.

O Brasil não valoriza a segurança pública. Aqui nos EUA percebe-se respeito no tratamento para com os agentes que compõe o sistema americano, sem comentar os salários. Pelo que sei do Brasil, os salários são baixos, o sistema de polícia militarizada é arcaico e ineficiente. Por que não se reforma a segurança pública brasileira? Quem ganha com esse caos?[2]

Isso nos faz retornar ao plano de carreira e à falta de vontade do Estado em valorizar o serviço policial e à falta de representantes genuinamente envolvidos com esse problema, não restando aos integrantes outra alternativa além de buscar o direito de greve como meio de serem ouvidos.

3 Quem Quer Criar Desordem?

A lacuna deixada pelo art. 144 da CF/88 induz a criação de diversos dispositivos de segurança privada. As classes mais abastadas pagam por serviços de vigilância, segurança pessoal e patrimonial que já entram de uma forma ou de outra nas atribuições policiais, inclusive contratando ex-policiais ou policiais da ativa para trabalharem em suas horas de folga.

A quem interessa que as carreiras policiais não se sustentem? A quem interessa a falta de aparelhamento policial?

Certamente não é a maior parte da população. Os grandes interessados na incapacidade do sistema de segurança pública são aqueles que seriam afetados diretamente por ela, ou seja, aqueles que querem estar impunes diante dos crimes que cometem ou dos pretensos prestadores de segurança privada.

Dentro dessa ideia existem verdadeiros defensores da desestatização das polícias, pregando a aquisição desses serviços através de contratos privados que ofendem toda a ideia de imparcialidade desse serviço.

Organizações para-policiais, algumas inclusive de natureza pública, conseguem autorizações para atuar no campo de ação da polícia, realizando serviços de patrulha, escolta, atendimento de emergência, investigação, levantamento de informações e até operações especiais.

Jarret Wollstein defende essa ideia de privatização dos serviços policiais. O autor já sugere organizações paramilitares para realização de serviços mediante contratos particulares de prestação de serviços. Ele mesmo em um de seus textos e afirma que:

Em uma sociedade livre, a proteção policial, como qualquer outro serviço, seria algo ofertado em bases contratuais, e somente para aqueles que estivessem dispostos a, e fossem capazes de, pagar por ela.[3]

Através de um argumento de autoridade questionável, o autor aponta para o colapso da segurança pública somente antes visualizados em filmes de ficção científica como visto na trama de Robocop – O Policial do Futuro.

Esse conceito está ganhando apoio em políticos e já se discute a utilização de agentes contratados para certos serviços, descaracterizando a polícia e usando recursos que poderiam ser usados no treinamento e contratação de policiais concursados para as polícias brasileiras.

Portanto, a manutenção da impunidade e a obtenção de lucro em serviços que já são obrigação do Estado, demonstram o caráter dos principais interessados numa polícia fraca e sem capacidade ou respeito.

4 Quem quer manter a ordem?

Apesar de pairar uma dúvida a respeito desse desejo do Estado Brasileiro, sabemos com certeza que os policiais buscam sua valorização profissional no intuito de terem maior capacidade de prestar o serviço para o qual fizeram concurso, curso de formação e foram nomeados.

A sociedade também está muito interessada em que as polícias estejam aparelhadas, com material humano necessário e trabalhando em condições adequadas para cumprir suas atribuições estabelecidas na Constituição federal.

Dia 20 de Junho de 2012 será o Dia da Mobilização Nacional Pela Valorização dos Profissionais de Segurança Pública. Uma grande tentativa de trazer a sociedade ao debate desse importante momento da realidade nacional. Associado ao movimento haverá uma campanha de doação de sangue e cadastro de doadores de medula óssea, demonstrando que se trata de um movimento legítimo, feito com inteligência para chamar a atenção da administração pública de forma ordeira e civilizada.

Então fica a pergunta para reflexão: um país que não atende as demandas de Segurança Pública de sua população está preparado para sediar grandes eventos?
[1] GRECO, Rogério – em entrevista para a repórter Anna Ruth Dantas da Tribuna do Norte, no artigo: “Ser policial não é para qualquer um” disponível em http://amaempc.com.br/wordpress/?p=2109 Acesso em 11 Jun, 2012

[2] Comentário sobre Salvador ter virado terra sem lei em reportagem reproduzida pelo autor Ney Machado Disponível em: http://comentáriosfolha.com Acesso em 11 Jun, 2012

[3] WOLLSTEIN, Jarret. Desestatizando a polícia. Instituto Ludwig von Misses Brasil. Disponível em: http://mises.org.br/Article.aspx?id=767. Acesso em: 11 maio 2012.
 

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Para evitar golpes contra militares da corporação, instituição produz cartilha

Em uma atitude inédita no país, o Exército brasileiro lança uma cartilha para orientar sua tropa, seu quadro de reserva e familiares contra as dezenas de golpes aplicados para tomar dinheiro de incautos. Apesar de não divulgar o número de ocorrências na corporação, o serviço de informação pública do Exército admite que houve aumento na incidência de queixas. A cartilha, produzida para distribuição interna, relaciona 21 golpes de estelionatários e dá conselhos para não cair na tentação do dinheiro fácil. Estão listados desde o conhecido golpe do falso sequestro e do consórcio até aqueles que visam especificamente os militares. Entre eles o da ação judicial, que informa a existência de valores conquistados na Justiça mediante o pagamento de certa importância, e ainda do Fundo de Saúde do Exército (Fusex), com a simulação da troca do cartão-saúde, que tem como alvo o quadro de reserva e pensionistas.

A cartilha foi elaborada este ano pela Centro de Inteligência do Exército para distribuição em 16 unidades, que se responsabilizará pela entrega à tropa. O rodapé de cada página traz a descrição do golpe e conselhos para afastar estelionatários. Um exemplo é o golpe do consórcio (veja quadro), que traz o seguinte conselho: “Certifique-se sempre de que a empresa é cadastrada e tem solidez no mercado, antes de fechar negócio. Cuidado com dinheiro rápido e fácil”. Na abertura da cartilha, são listados ainda 10 conselhos que dificultam as ações de golpistas como: “Controle sua ambição” e “Não seja ingênuo. Dinheiro fácil não existe”, além da máxima: “Nunca aceite ajuda de estranhos, especialmente em bancos”. De acordo com o Exército, o que fica claro na análise das reclamações das vítimas é que a razão do crescimento dos golpes é a “falta de informação por parte das pessoas ou do excesso de ambição”.

ACESSO O informativo chama atenção ainda para o “grande conhecimento” que os golpistas têm dos dados pessoais das vítimas, um facilitador na ação criminosa. Nesse caso, a recomendação é não fornecer dados pessoais por telefone, orientação que deve ser repassada a toda a família. Ao descrever o golpe da cópia da carteira de identidade, o Centro de Inteligência do Exército sugere que, ao entregar cópia de documentos, especialmente a identidade militar, em alguma instituição ou estabelecimento comercial, insira duas linhas sobre o documento para descrever a finalidade daquela cópia. Isso porque a fotocópia pode ser usada indevidamente para fazer empréstimos bancários. A cartilha alerta para a necessidade de ficar atento nas filas dos bancos, onde é frequente o golpe do falso gerente, quando uma pessoa se faz passar por funcionário e recolhe o dinheiro e as guias para depósito, prometendo maior agilidade, e foge com os valores.

Batendo sempre na tecla de que se deve desconfiar de “ofertas generosas”, o Centro de Inteligência do Exército faz um alerta especial para o golpe da pirâmide ou programa de ajuda mútua. “As pirâmides constituem crime contra a economia popular”, afirma o documento, que descreve o artigo 2º da Lei 1.521 – obter ou tentar obter ganhos ilícitos em detrimento do povo ou do número indeterminado de pessoas mediante especulações ou processos fraudulentos. Em geral, a abordagem é feita por e-mail ou correspondência que relaciona nomes de pessoas e suas respectivas contas bancárias. Para fazer parte do grupo é necessário depositar quantias indicadas, até chegar sua vez de receber o depósito. No entanto, a ação se desfaz antes que a vítima receba o que investiu.

DESGASTADO Como exemplo de ganho fácil foi listado o golpe do bilhete premiado, que, apesar de bastante divulgado, ainda faz vítimas. Segundo a sessão de informações públicas do Exército, na seleção dos golpes para compor a cartilha foram analisadas “matérias veiculadas pela imprensa e ainda sugestões de pessoas que direta ou indiretamente tomaram conhecimento de tais ilícitos”.

Para tentar evitar os estelionatários, o Exército pede que “todas as ligações telefônicas feitas por supostos integrantes da corporação ao pessoal em serviço devem ser comunicadas à Seção de Controle de Militares Temporários (SCMT), responsável pelo controle do efetivo. Entre os golpes está o do falso coronel. Um homem, se passando por oficial, liga para o pessoal em serviço e solicita apoio para rebocar seu veículo, sob a alegação de que tem uma pessoa doente e não pode esperar o reboque. Ele pede o telefone do militar que vai lhe dar apoio e pouco tempo depois liga, pedindo, desta vez, para que compre créditos para seu celular. Diz que é para ligações urgentes. Para dar mais veracidade, solicita a compra de remédios para o doente que o acompanha. Ao chegar ao local, no entanto, se comprova a farsa.

De olho nos incautos

Passagem aérea

É oferecida uma passagem aérea com preço abaixo do de mercado, justificando que é referente a bônus no cartão de milhagem. No momento do embarque, a pessoa é informada que a passagem foi comprada com cartão roubado.

Empréstimos e financiamento em nome de militar falecido

Usando informações privilegiadas, o golpista faz empréstimos junto a instituições financeiras, que oferecem crédito fácil, em nome do militar. A família, abalada com a morte recente, só descobre a fraude meses depois.

Pecúlio

A vítima recebe telefonema ou correspondência de pessoa que se diz funcionário de associação, de empresa de previdência privada ou oficial do Exército, para informar sobre existência de um saldo de pecúlio a receber e oferecendo o saque imediato. Para isso, exige o depósito de 10% do valor a ser recebido em conta-corrente indicada. De posse do nome, CPF, endereço do beneficiário, é depositado na conta indicada pela vítima um cheque roubado, que fica bloqueado por mais de 24 horas e depois é sustado.

Falso sequestro

Uma pessoa liga para a vítima e diz que sequestrou algum parente dela. Exige uma quantia em dinheiro depositada em uma conta-corrente para a libertação e não permite que desligue o telefone.

Parentes em dificuldades

O estelionatário se passa por um parente em apuros e pede por telefone que a vítima deposite uma quantidade em dinheiro para socorrê-lo.

Consórcio

A vítima recebe ligação de uma pessoa que usa o nome de uma empresa de fachada para fazer a venda de um consórcio mediante o pagamento antecipado de taxas, além do pagamento de cotas pelo período mínimo de 12 meses. Passado esse prazo, a empresa fictícia é fechada e a vítima fica com o prejuízo.

Falso gerente de banco

O golpista faz-se passar por funcionário de banco e usa o pretexto de organizar a fila do caixa para abordar os correntistas. Ele recolhe dos clientes as guias de depósito com dinheiro e promete retornar com os recibos da transação. No entanto, desaparece com os valores.

Bilhete premiado

O estelionatário aborda a vítima, dizendo ser de outro estado. Ele garante que ela tem um prêmio a receber e a convence a acompanhá-lo até o local de pagamento da premiação. O bilhete então é oferecido à pessoa por preço irrisório. Quando recebe o valor acertado, o golpista desaparece.

Promoção de programa de televisão

A vítima recebe um telefonema em que o golpista informa ser da produção de um programa de televisão. Comunica que ela foi sorteada e tem prêmios a receber. No entanto, para validar o sorteio, deve comprar cartões de telefone e recarregar o número do celular indicado.

Mensagem premiada via celular

O estelionatário envia mensagem para o celular da vítima, informando que ela ganhou um prêmio e, para recebê-lo, deverá depositar uma quantia em dinheiro na conta-corrente indicada por ele. Após o depósito, ela percebe que foi vítima de um golpe.

Suposta empresa de telefonia

Passando-se por funcionário da empresa concessionária de telefonia, uma pessoa liga para o celular da vítima para informar que foi detectado um defeito naquele aparelho. Para o reparo, solicita que a pessoa digite um número por ele fornecido. Com essa ação, o estelionatário clona o número da linha para uso indiscriminado com ligações interurbanas e internacionais.

Pirâmide ou Programa de Ajuda Mútua

É enviado à vítima um e-mail ou uma lista contendo quantidade variável de nomes de pessoas e suas respectivas contas bancárias. Para aderir ao programa, deverá depositar uma quantia na conta das pessoas relacionadas. Ao participar da pirâmide, o nome da vítima passa pelas demais posições e receberá depósitos de outros participantes. Mas isso não ocorre e a pessoa fica no prejuízo.

Ação judicial

Militares da reserva são contatados por telefone ou pelo correio por um cidadão que se apresenta como advogado, representante jurídico de inativos ou pensionistas. Ele informa sobre o ganho de uma ação judicial coletiva e solicita que o militar confirme a informação em um telefone indicado. Lá um comparsa solicita dados da conta bancária e o pagamento de custas processuais.

Carteira de identidade

Golpe é aplicado usando cópia da carteira de identidade. Isso porque a maioria das instituições ou estabelecimentos comerciais concedem crédito mediante a apresentação da cópia de documento. Assim, por descuido do funcionário ou até mesmo com sua conivência, a cópia é extraviada para uso indevido, como empréstimos em instituições bancárias.

Fundo de Saúde do Exércio (Fusex)

Uma pessoa procura militares da reserva ou pensionistas se dizendo funcionário do Fusex para fazer o recadastramento de beneficiários e substituição do cartão. A vítima é levada a preencher um falso questionário, quando é informada que a troca tem um custo. O valor é baixo, mas o golpista diz não poder receber dinheiro e pede um cheque. Depois, o valor é adulterado no documento. É frequente que o falsário ofereça para preencher o cheque, deixando espaço para a fraude.

Fonte: em.com

Noticias de hoje em relação aos brigadianos

Estava pensando na mensagem que acabo de receber lá de Santa Rosa do meu amigo, irmão e companheiro de luta classista Hércules e que diz o seguinte:

Irmãos de farda, acabo de fazer contato com o gabinete do deputado Valdeci Oliveira, LIDER DO GOVERNO, falei com o Sr. Alex responsável pela agenda do deputado, o mesmo me disse que o deputado VAI NOS RECEBER TALVEZ ESTA SEMANA OU NA OUTRA, esta é a consideração que... o governo tem por nós, ou seja nenhuma, VAMOS TER QUE MOSTRAR NOSSA FORÇA!!!!!!


A mensagem acima recebo casualmente depois de escrever o texto abaixo, acho (de certeza) que estamos sendo enrolados;



Promessas do Líder de Governo (por Dagoberto Valteman)

 
Semana passada o deputado Valdeci de Oliveira Líder Governo na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul se colocou a disposição das Associações Independentes dos servidores da Brigada Militar (associações do interior) e prometeu agendar uma audiência para ouvir suas lideranças juntamente com ASSTBM, ABAMF, e ABERGS com vistas na melhoria do PL 141/2012.... Desculpem o trocadilho, mas a semana passada "já passou" e a nova semana iniciou e não temos nenhuma resposta até agora. Se for o caso pode ligar para 051 85136497 que eu faço a convocação das lideranças, o que não pode é chegar o mês de julhjo os deputados esvaziarem a Casa Legislativa empreendendo campanhas políticas e nós ficarmos jogados.Ver mais


Como providência inicial tomei a atitude abaixo:

Acabo de ligar para o gabinete do deputado Jeferson (15:12) e reforcei o pedido para que ele interceda junto ao Líder de Governo para que sejamos recebidos em audiência ainda esta semana, caso contrário não teremos como segurar quem está insatisfeito.

Fonte: Dagoberto Valteman e Hércules Peres Bloedow, ambos Policiais Militares e lutadores classistas

Só para policiais e bombeiros femininos...

Criado um blog especialmente para policiais e bombeiros do sexo feminino, apesar da caveira estampada no lado direito do cabeçalho, possui uma rosa no lado direito e é todo nas cores rosa choque.

Acesse pelo link:  http://polfembr.blogspot.com.br/

domingo, 17 de junho de 2012

Presidente da Câmara quer aumento de verba

Cada parlamentar tem R$ 60 mil para pagar salários de até 25 funcionários
O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, defendeu o aumento da verba de gabinete dos deputados. Cada parlamentar tem R$ 60 mil disponíveis por mês para pagar salários de até 25 funcionários, que são contratados sem concurso público.

"São servidores de gabinete que têm os salários mais baixos da Câmara e estão sem aumento há quase cinco anos. Assim que tivermos condições orçamentárias, cuidaremos disso", disse Marco Maia.

á há uma proposta em estudo para o reajuste da verba em 25%, totalizando R$ 75 mil por mês. Atualmente, o maior salário de assessor de gabinete é de R$ 8.040,00, considerando as gratificações.

Da Redação noticias@band.com.br