PREVISAO DO TEMPO

domingo, 22 de janeiro de 2012

Soldado assassinado deixa carta com sonho de salário digno

José Trindade e Thais Tomie
Redação 24 Horas News

O soldado da Polícia Militar de Mato Grosso, Alex Oliveira Suzarte, morre em combate com a marginalidade, mas prevendo um fim trágico, deixou uma carta com palavras emocionantes, bem ao estilo poético. Um recado que precisa ser analisado com muito carinho e respeito pelas autoridades deste Estado, principalmente pelo governador Silval Barbosa. A mensagem foi dedicada a todos os policiais e mostra o orgulho pela profissão e a tensão que ele vivia na rotina de trabalho.

Alex, que era locado na Companhia Independente de Poconé, subordinada ao Comando Regional-2 (CR-2), em Várzea Grande, deixou uma mulher viúva e três filhos. Ele sonhava com um bom salário. Na carta, ele exalta o trabalho árduo dos militares no combate ao crime.
O militar foi assassinado com um tiro no olho na madrugada deste sábado (21) em Poconé (Baixada Cuiabana, a 100 quilômetros de Cuiabá), durante uma perseguição policial. Ele entra para a história da Polícia Militar como o PM que previu sua própria morte. Aos filhos ele deixa um recado também emocionante.

Confira a carta na íntegra:

Enquanto todos dormem, eu estou em lugares inimagináveis, bueiros fétidos casas abandonadas entre outros lugares que alguém normal ser recusaria ir;

Enquanto todos dormem, eu estou em alerta máxima, tentando não apenas defender pessoas que nunca vi nem mesmo conheço, mas também, tentando sobreviver;

Enquanto todos dormem no aconchego de suas casas debaixo dos cobertores, eu estou nas ruas debaixo de forte chuva, com frio e casnsado madrugada à dentro;

Enquanto todos dormem, eu estou travestido de heroi, e mesmo não tendo super poderes estou pronto para enfrentar o perigo para desafiar a morte e “quissá sobreviver”;

Enquanto todos dormem, eu estou dividido entre o medo da morte e a árdua missão de fazer segurança pública;

Enquanto todos dormem, eu sonho acordado com um futuro melhor, com devido respeito, com um justo salário com dias de paz, mas principalmente com o momento de voltar para casa e de olhar minha esposa e meus filhos e dizer-lhes que foi difícil sobreviver a noite anterior, que foi cansativo e até frustrante, mas, que estou de volta, e que tenho por eles o maior amor do mundo.

Esse texto eu dedico a todos policicais que como eu só desejam voltar para casa vivo.

Alex Oliveira Suzarte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário