PREVISAO DO TEMPO

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Cpers vai protestar pelo piso no Fórum Social Temático

Professores farão "alertas para a educação" nas cidades participantes da Região Metropolitana

Com a expectativa de atrair um público de 30 mil participantes na Capital e Região Metropolitana, o Fórum Social Temático vai servir de palco para protestos dos professores estaduais. O Cpers-Sindicato informou que irá emitir "alertas para a educação" nas cidades que participarão do evento: Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo.

A presidente do Cpers, Rejane de Oliveira, comentou que a intenção é mostrar, em especial para visitantes de outros países, a forma como o governo trata o ensino público. Intervenções urbanas irão ocorrer em vias e espaços públicos, com mensagens sobre o não pagamento do piso nacional aos professores.

A prioridade do governo estadual, conforme nota, é colaborar com o sucesso da realização do fórum, em sua logística e segurança. A assessoria do governador reiterou que a implementação do piso da categoria deve ocorrer até o fim do seu mandato.

Além da presidente Dilma Rousseff, pelo menos sete ministros devem vir a Porto Alegre na quinta-feira para participar da sessão especial do Fórum Social Temático. Na lista estão os ministros da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho; da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário; do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello; da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Iriny Lopes; da Agricultura, Mendes Ribeiro; e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Helena de Bairros.

O Cpers-Sindicato agendou assembleia geral do Magistério para 9 de março, em frente ao Palácio Piratini. A presidente da entidade, Rejane de Oliveira, adiantou que nos dias 14, 15 e 16 do mesmo mês haverá paralisação nacional dos professores, para reivindicar a manutenção do Fundeb como indexador do piso nacional e para rechaçar a proposta de mudança para o INPC, calculado em 6,5%.



Fonte: Voltaire Porto/Rádio Guaíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário