PREVISAO DO TEMPO

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Policiais rodoviários farão greve inédita

Categoria para pela primeira vez em 84 anos de existência da corporação


 Na quarta-feira passada, rodoviários fecharam a ponte do Guaíba<br /><b>Crédito: </b>  tarsila pereira
Na quarta-feira passada, rodoviários fecharam a ponte do Guaíba

Crédito: tarsila pereira

Na quarta-feira passada, rodoviários fecharam a ponte do Guaíba

Crédito: tarsila pereira

Policiais rodoviários federais decidiram iniciar sua greve a partir desta quinta-feira no RS e outros estados do País. A decisão foi tomada ontem, em assembleia geral realizada em Porto Alegre. Eles buscam pressionar o governo federal por mais investimentos em segurança e na carreira, melhores condições de trabalho, reajuste salarial, reposição de efetivo, além de outras reivindicações. É a primeira greve em 84 anos de existência da corporação.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais (Sinprf-RS), Francisco Kossel, a PRF gaúcha tem atualmente 685 agentes, enquanto o efetivo considerado ideal deveria ser de 1.576 patrulheiros. No país, há cerca de 4 mil cargos vagos. Kossel afirma que os grevistas irão realizar operações padrão nas rodovias federais do Estado. As revistas minuciosas em veículos deverão ocasionar congestionamentos.

O dirigente sindical lamenta os prováveis inconvenientes, mas acredita que não há outra forma de ação para mudar o quadro de carências de pessoal e de infraestrutura da corporação. "Estamos prevendo um colapso para período dos grandes eventos que o Brasil vai sediar", afirma,

Ele alerta a sociedade para o prejuízo da greve. "A PRF é responsável pelas maiores apreensões de drogas no país. Com as atuais condições de trabalho, há dificuldade em reprimir a criminalidade e também em garantir a segurança para o trânsito", explica o líder sindical.

Segundo o Sinprf-RS, dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apontam que o Brasil consome R$ 11,5 bilhões ao ano em prejuízos oriundos de acidentes em rodovias federais. "Menos de 4% deste valor é aplicado anualmente para estruturação da PRF. Sem investimento em prevenção, o prejuízo só irá aumentar", avalia Kossel.

A Superintendência da PRF no Estado informou que somente se manifestará após a efetivação das ações de greve, na quinta.

Fonte: Correio do Povo 14ago2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário