PREVISAO DO TEMPO

domingo, 2 de setembro de 2012

ALERGS: Postal busca valorizar servidores

Deputado abriu diálogo sobre necessidade de ampliar controles internos<br /><b>Crédito: </b> Vinícius reis / al / cpPresidente da Assembleia Legislativa defende controle de ponto, mas com respeito às carreiras e à especialização funcional

Deputado abriu diálogo sobre necessidade de ampliar controles internos
Crédito: Vinícius reis / al / cp

O atual presidente da Assembleia, Alexandre Postal, segundo a assumir o cargo nessa legislatura, busca desde o início de sua gestão na presidência da Casa um novo entendimento sobre a atuação e a carreira dos servidores públicos que prestam serviço no parlamento gaúcho. Detentor de cinco mandatos como deputado estadual, Postal tem a experiência e o conhecimento necessários para dialogar com as carreiras que, além de assessorar os deputados, dão sequência à construção da história da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

Atuam no parlamento duas categorias de servidores que totalizam 1.531 servidores no quadro de pessoal (422 efetivos e 1.109 comissionados). Dentre esses, alguns prestam serviço diretamente aos parlamentares, outros garantem o funcionamento administrativo, a segurança e o embasamento jurídico, teórico e constitucional para a atuação do Legislativo gaúcho. Além dos servidores da Casa, há outros funcionários que prestam serviço por meio de empresas contratadas, através de processo licitatório, para várias finalidades.

Postal que, antes de ser eleito deputado, trabalhou na Casa de 1983 a 1987 assessorando o deputado estadual Antônio Lorenzi (PMDB), afirma ter grande respeito pelos profissionais do Legislativo. Desde que assumiu a presidência, em 31 de janeiro, colocou o ajuste na carreira dos servidores como uma das prioridades. "Essa é uma reivindicação antiga. Meu compromisso com a Casa é enorme. Passei 25 anos da minha vida aqui dentro", afirmou o presidente.

O parlamentar peemedebista não desconhece que entre as carreiras de Estado que atuam na Assembleia há aqueles que detêm prerrogativas estabelecidas por concursos públicos, enquanto outros exercem atividade para determinado parlamentar, indicados por ele, sendo de sua confiança. Esta relação, própria de uma atividade política como a exercida na Assembleia, é compreendida pelo atual presidente da Casa, que a considera um item essencial no processo democrático vivenciado pelo país.

Fonte: Correio do Povo 2set2012



Nenhum comentário:

Postar um comentário